3 pratos vegetarianos em – de 10′


20130206-221232.jpg

Sabem aquelas noites em resolvemos dar um jantar em casa com amigos de diferentes circunstâncias que vêm acompanhados pelos(as) namorados(as) novos(as)? Esmeramo-nos nas compras e investimos em mega filet mignon e vários queijos maravilhosos de entrada e uma das namoradas novas, para além de linda e maravilhosa, é vegetariana (e não gosta de queijo)?🙂 Pois é, há certos ingredientes que não ocupam espaço nenhum na despensa e que têm de estar sempre presentes para um SOS. Seguem 3 dicas de prato principal:

1 – Alho francês (poró) à brás (é calórico, mas a convidada ao ver o vosso esforço vai ser educada e deixar a dieta para o dia seguinte):

Não tem nada que saber. Refogado do alho francês no azeite (eu já experimentei colocar tofu e ficou óptimo, mas não é necessário), colocar os ovos que foram mexidos com sal e pimenta e reservados previamente e finalizar com as batatas pala-pala. Dar um toquezinho de coentros ou salsa e está feito. Neste da foto coloquei uma cenoura que estava a olhar para mim no frigorífico. Deu cor e ficou fantástico. É mesmo muito rápido e fácil.

2 – Salada de couscous marroquino:

Colocar o couscous numa travessa e temperar com sal, pimenta, azeite, noz moscada e limão. Aquecer água na chaleira eléctrica e cobrir o couscous enquanto o mesmo cresce. Repetir 2 ou 3 vezes até ficar fofinho, mexer e guardar no frigorífico enquanto se preparam os outros ingredientes que podem ser variadíssimos. No da foto coloquei tomate seco, ovos cozidos, pimentos encarnados em picles, pepino em picles, passas e rúcula. Ligou tudo muito bem e o pessoal repetiu várias vezes.😉

3 – Bolonhesa de soja:

É incrível como este prato é saboroso e leve. Eu que não sou vegetariana, gosto mais desta bolonhesa do que a de carne picada (moída). A forma de preparar a soja granulada é idêntica à de preparar o couscous: numa travessa ir cobrindo de água a ferver até crescer. Quando a soja tiver absorvido a água é fazer tudo igual a como se tratasse de carne picada. Refogado e não ter medo de temperar. A soja pede mais tempero do que a carne. Uma lata de tomate pelado, com orégãos, sal e muita pimenta, vinho branco e deixar apurar. Eu embirro com spaghuetti. Sou mais um liguine ou tagliatelle. Mas, basicamente, pode ser servido com qualquer pasta. Enquanto se conversa na cozinha e se bebe um copo de vinho, fica pronto. Rápido, fácil e muito bom!

A foto do canto superior esquerdo, é uma óptima aposta de entrada para quem não gosta de queijo. Eu amo comida árabe e arrisquei inventar um homus. Não vou dou a receita que saquei da net porque mesmo tendo sido elogiada ao servir o homus com beringelas grelhadas, eu não adorei. Fiquei com ainda mais saudades de um bom almoço no Almanara da Óscar Freire!

Bom apetite!