Quando a gula rola solta!


Quando a gula rola solta!

O mês do escorpião já me agarrou pelo estômago. Nisso sou como um homem: uma boa mesa poderá ser razão para um grande amor. Na verdade, tenho outras razões para gostar muito deste mês que se inicia e o dia piloto foi muito bem passado – e que a minha balança não saiba.

Desde o jantar de ontem em que bruxinhas partilharam doces e travessuras até altas horas que o meu metabolismo me diz: “Quero mais!”…e vou comendo, mas não qualquer coisa!

Hoje ao jantar, tive o prazer de ser convidada por um casal amigo de longa data para provar as novas experiências daquele que promete ser o próximo melhor chef português e, quem sabe até, além fronteiras. Tem o talento, a criatividade e a determinação necessários.

António Luciano gosta de estar sozinho na cozinha concentrado nas suas ideias e ensaios. Isso não pudemos conceder. ☺ Adoro ver tudo e peço muitas explicações enquanto aproveito para fotografar aqueles manjares divinos que fazem a felicidade de qualquer pessoa que aprecie um prato bonito e saboroso. É caso para fechar os olhos e deixar fugir um “hummmmm”.

Então, o menu de hoje teve início com umas belas amêijoas boas à Bulhão Pato seguidas de uma salada de salmão em duas texturas. Essa entrada de salmão estava qualquer coisa de fenomenal. Uma espécie de tártaro de salmão recheado com creme fresco e morangos. A segunda textura era um “picadinho” de salmão muito bem temperado enrolado em algas estaladiças que remetiam um pouco a sushi, o que é sempre bom, mas causou uma certa fúria à grávida da mesa! ☺

De prato principal António serviu um frango desossado recheado com mozarrela e tomate concassé muito bem condimentado que não escondia um travo agradável a alecrim. Ele contou-me alguns segredos mas duvido que algum dia venha a conseguir fazer aquilo que ele considera simples. O frango depois de desossado minuciosamente é preenchido com mais peito de frango ligado com todos os temperos e ovo. Ele mantem as asas e as pernas para que o formato de frango se preserve o que esteticamente dá-lhe um toque bastante apetecível. Veio acompanhado de batatas duquesas ao ponto.

Quando já só pensava no meu massagista e na minha urgente consulta dermatológica, eis que surge uma adaptação de uma sobremesa do Sheraton que consiste em creme de nata (sim, exatamente o dos pastéis de nata!) envolvido em massa filo ao lado de uma quenelle de gelado de menta – são bolas ovais que são muito mais especiais do que pode parecer, afinal, existe até campeonato do mundo para os que confeccionam tais “bolas” de gelado.

E claro, só por causa disso, o próximo post terá de ser sobre fitness e/ou wellness. Como é fácil perceber porque os mais roliços são mais felizes! ☺